Rui Duarte

Rui

Duarte

Nasceu no Porto a 20 de Fevereiro de 1955.
O interesse pela fotografia veio primeiro, seguindo-se a descoberta e o interesse pela arte e pela arte através da fotografia .
Iniciou-se como autodidata em todo o processo da fotografia a preto e branco em 1995. sendo o seu contacto com as várias escolas e aprendizagem, feito através de uma já considerável biblioteca fotográfica, de técnicas e autores, e de todo o contacto virtual que hoje é possível. 
A transição para todo o processo fotográfico digital foi gradual, meticulosa e completa, de modo a garantir todo o potencial do preto e branco analógico. Pode-se dizer agora que só mudou o meio, embora seja diferente. Não se pretende imitar a fotografia analógica.
É uma técnica interessante , que permite igualmente pôr no papel o que previsualizamos, seja a transcrição o mais literal possível da realidade, ou a nossa interpretação, tal como no processo analógico, que foi executado em câmara escura durante mais de vinte anos.
Há que explorar os caminhos da mudança, numa arte recente e sempre esteve ligada a muitas revoluções tecnológicas.
Algumas exposições em que participou:
1997 – As quatro  estações no Vale do Bestança ; colectiva na câmara Municipal de     Cinfães.
2000 – Os médicos artistas do Vale do Sousa; colectiva na Casa da Cultura de Paredes.
2003 – Fórum jovem da Maia; colectiva de fotografia e pintura
2004 – Sala de exposições do Café Majestic; colectiva de fotografia e pintura
2006 – Escola secundária Augusto Gomes; individual, com o Título – Conheço um lugar tranquilo.
2008 – Escola secundária Augusto Gomes; individual, com o Título – O mundo das coisas.
2009 – Câmara Municipal de Matosinhos; colectiva de fotografia
2010 – Quadrasoltas / Espaço D’Arte; colectiva de fotografia e pintura